100%

Município de Santa Vitória do Palmar

Em 1849, o Marechal Andréa recebe a tarefa de escolher o local e a respectiva planta de execução situada em área do Taim, mais precisamente nas terras pertencentes a sesmaria de Antônio Carvalho Porto, que prontamente atendem a proposta destinando terras na "Coxilha do Palmar".

Elevação de freguesia e vila, em outubro de 1858 foi criado o 2º distrito do Taim, constituído pela Capela Santa Vitória do Chuí. Em dezembro do mesmo ano foi sancionada a lei 417, elevando-a a categoria de Freguesia com a mesma invocação da Capela de Santa Vitória, esta que era a Santa de devoção de Germana Rita de Brito da Vitória, esposa do Marechal Andréa.

Através da lei 808 foi elevada a categoria de Vila a povoação de Santa Vitória do Palmar de Lemos, conforme despacho do Bacharel José Costa Pereira Nunes, presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul e criou os primeiros lugares de Primeiro Tabelião e Escrivão do Público, Judicial e Notas, e Órfãos Contador e Partidores do Juízo.

Em 24 de dezembro de 1888, através da lei 1736, elevou a vila a categoria de cidade.

E no distrito do Taim o local denominado Coxilha do Palmar, consta em ata desde de 19 de dezembro de 1855, esta lavrada pelo então escrivão Norberto de Souza Leite e assinada por Manuel Corrêa Mirapalhete, Jacinto Dias de Oliveira, Antônio Rodrigues Corrêa, Antônio Thomas Corrêa Viana...
 
Vera Maria Rodrigues
Responsável pela Área de
História do Museu Municipal

O Município

Município de Santa Vitória do Palmar